Atraso de contas bate recorde e afeta Natal (O Globo)

O Natal deste ano deverá ter recorde de brasileiros com contas em atraso, de acordo com dados da Serasa Experian, o que deve afetar as vendas a prazo. Em outubro, segundo a empresa, o número de consumidores inadimplentes (contas em atraso há mais de 90 dias) era de 61 milhões, 4,45% a mais que em outubro de 2016 (58,4 milhões). O número é o maior da série histórica iniciada pela Serasa em 2012.

De acordo com a empresa, o patamar de inadimplentes estabilizou entre 60,5 milhões e 61 milhões de março para cá. O desemprego foi o principal motivo apontado pelos devedores para as contas atrasadas, afirma Luiz Rabi, economista da Serasa Experian.

Embora os bancos continuem contidos na concessão de crédito, o desemprego esteja em leve declínio e tenha ocorrido a injeção de recursos na economia por meio da liberação do saque das contas inativas do FGTS, a queda da inadimplência tem ocorrido em ritmo mais lento que o esperado. Números dos Banco Centra divulgados na semana passada confirmam essa tendência. Segundo o BC, o nível de atrasos superiores a 90 dias, ficou estável em outubro, em 3,6%.

De acordo com a Seresa, o número está demorando a ceder porque cada inadimplente mantinha este ano uma média de quatro contas em atraso.

Para Guilherme Dietze, assessor econômico da FecomercioSP, o nível de endividamento atual das famílias só deve recuar com a melhora do emprego. “A geração de empregos é crucial para reduzir esse patamar de inadimplência, que está estabilizado num nível elevado. Essa tendência de melhora deve se concretizar em 2018”, afirma.