Inteligência artificial ajuda na relação do varejo com cliente (DCI)

O uso de inteligência artificial e big data na gestão do relacionamento com o consumidor já começa a fazer parte do dia a dia do varejo, gerando incrementos expressivos nos indicadores. Em alguns casos, a adoção da segmentação analítica e da oferta personalizada garantiu um crescimento de 10% no tíquete médio e de 6% na frequência de ida as lojas.

Os dados foram reportados pela Propz, empresa especializada no uso das tecnologias na gestão de relacionamento com o consumidor (CRM, na sigla em inglês), e que possui clientes como a Raia Drogasil, Ceconsud e Ipiranga. O COO e fundador da companhia, Israel Nacaxe, explica que o aumento do tíquete e da frequência são valores médios registrados nas campanhas mais eficientes feitas com os varejistas parceiros.

O crescimento dos indicadores ocorre na medida em que o varejo consegue analisar de forma mais detalhada o comportamento do seu cliente, oferecendo promoções mais assertivas – que, além de gerar uma maior propensão a compra, aumentam a fidelização do cliente.

“Na prática, nosso sistema se conecta ao do varejista, acessando todos os cupons fiscais e analisando o comportamento de compra e as cestas de produtos mais frequentes”, explica. A partir dos dados, a ferramenta da Propz consegue identificar os itens que tem maior ou menor elasticidade e que podem ser colocados em promoção. Além disso, quando a venda é identificada (ou seja, quando o cliente é cadastrado na base da loja e se identifica com o CPF), a solução consegue analisar o histórico de compras e oferecer ofertas personalizadas. “Se temos informações de contato, como e-mail ou telefone, conseguimos ir além e acionar as promoções no melhor momento para cada consumidor. Analisamos todas as informações de vendas e de maneira automatizada, com o uso de inteligência artificial, conseguimos cliente a cliente identificar a melhor hora para entrar em contato com ele.”

Segmentação

Uma das segmentações que o sistema da Propz realiza é entre os clientes que já são fiéis à rede e os indecisos. A divisão é importante para decidir o tipo de promoção que será ofertada para cada um. “Se a rede oferece um desconto para um consumidor que já está decidido a comprar ela está perdendo margem a toa, porque ele já compraria de qualquer forma. Para esse cliente, é preciso fazer promoções em categorias ou marcas com preços superiores – buscando um aumento do tíquete médio”, afirma.