Simples Nacional

Quatro mitos do Simples Nacional

Aderir ao Simples Nacional ou não? Com a aproximação do fim do ano, é comum empresários ficarem com essa dúvida, já que o prazo para o agendamento da opção do Simples Nacional acaba em 28 de dezembro.

Criado em 2007 para descomplicar a vida de pequenos negócios, o Simples Nacional passou por diversas reformulações que o tornaram um dos regimes tributários mais complexos do país – ou seja, nem sempre ele é a melhor escolha!

É comum empresários acreditarem em alguns mitos e acabarem frustrando expectativas iniciais.

Abaixo, falamos sobre quatro dos principais mitos sobre o Simples Nacional:

1- Não precisa de contabilidade

Como em todo regime tributário, no Simples Nacional é essencial ter um contador de confiança que avalie todas as possibilidades, oriente nos momentos de tomada de decisão e proteja o empresário de diversos riscos com o Fisco.

Além disso, quanto maior o faturamento do empreendedor, maior a importância de ter o seu enquadramento tributário avaliado por um profissional contábil ativo, para verificar se continua sendo vantajoso ou não.

(Atenção – O início de dezembro é o melhor período para tomar este tipo de decisão! O time de especialistas da Seteco está sempre pronto para te ajudar! )

2- Pagarei menos impostos

A unificação do pagamento de tributos não pode ser vista como única vantagem desse regime, pois o empreendedor pode estar perdendo dinheiro. Atualmente quem opta pelo Simples Nacional, dependendo de sua atividade, pode arcar com mais impostos do que negócios enquadrados no regime de Lucro Presumido, por exemplo.

3- Minha atividade se enquadra, logo terei mais lucro

Existem atividades que se encaixam, mas que não valem a pena pelo valor da alíquota a partir de determinadas faixas.

Cada caso precisa ser analisado individualmente, mas em geral, a regra é: quanto maior o gasto com folha de pagamento, maior a chance da opção pelo regime ser vantajosa.

4- Estarei blindado

É mito que empresas do Simples Nacional não passam por constantes fiscalizações da Receita Federal. O órgão permanece vigilante do pagamento de impostos e declarações obrigatórias.

Ainda está em dúvida se o Simples Nacional é a melhor opção para o seu negócio? O contador pode ajudar a entender a atual situação da empresa de acordo com o regime em que ela está inscrita, considerando cálculos de tributação, lucro, custos com pessoal, operações fiscais, entre outros elementos, e pensar se vale a pena mudar ou não.